Após câncer, cadeirante passa em medicina e pede ajuda para começar estudos



Na pequena cidade de Barra de Santa Rosa que tem pouco mais de 15 mil habitantes e fica a 80 km de Campina Grande, um assunto ganhou repercussão desde o último mês de fevereiro e foi coroado durante esta semana.

Maria Fernandauma garota que ficou cadeirante em consequência do câncer se tornou o motivo de orgulho para os moradores toda a cidade após passar em medicina em uma universidade pública. A jovem fez uma vaquinha online para conseguir comprar um equipamento que transforma a cadeira de rodas manual em um triciclo elétrico motorizado, que lhe proporcionaria mais comodidade para enfrentar os desafios diários na nova fase.

Após fazer contato com as redes sociais da 'Vó da Pomba', uma simpática senhorinha paraibana que após misto de AVC e Alzheimer se tornou uma YouTuber de sucesso, Maria Fernanda conseguiu uma importante quantia. Nesta segunda-feira (22), ela vai ter o primeiro dia de aula e luta para alcançar a meta, que é de R$ 9 mil.

Maria Fernanda tem 17 anos e desde 2016 se tornou o cadeirante após a nona e delicada cirurgia na coluna, sequelas do câncer, diagnosticado quando ela tinha apenas três anos de idade. Ela precisou lutar como gente grande enfrentando sessões de quimio e radioterapia.

Só de ter passado por tudo isso Maria Fernanda já exemplo de superação, mas ela foi além do que ela podia imaginar e agora ela vai realizar o sonho de cursar Medicina

"Eu fiquei muito feliz e até no primeiro dia sem acreditar muito, porque na modalidade que eu tava estudando só era uma vaga e eu consegui", disse.

Fernanda sempre estudou em escolas públicas e no último ano, para reforçar esse ensino, ela utilizou a internet. Eram uma aulas gratuitas e também alguns sites que ofereciam correção de redação por um preço acessível. Foi assim que ela conquistou uma das maiores notas de redação no Enem da Paraíba.

Fernanda alcançou 920 pontos na redação, com isso ela ficou com mais de 700 na pontuação geral, resultado de muita dedicação de quem só ficou de recuperação uma única vez, mesmo com as muitas faltas devido ao tratamento da doença.

Maria Fernanda vai ser a primeira médica da família. O pai, que é ajudante de pedreiro, está desempregado, a mãe deixou de trabalhar para dar assistência a filha. A única renda fixa da casa é o benefício que a menina recebe, que custeia apenas o plano de saúde e as despesas com medicamentos.




Nenhum comentário